Direita e Esquerda, dois fasci da mesma moeda: os cães do partido e a contra-revolução

Taí, depois me perguntam porque eu nao gosto de partidos políticos, porque sou contra. Olha o uso que a máquina faz de seus quadros!

[Grécia] 20 de outubro: Mais uma vez o chamado Partido “Comunista” faz o papel da Guarda Civil do Regime, reprimindo a manifestação da greve geral Outra vez os membros do chamado Partido “Comunista” jogaram o papel da Guarda Civil do Regime. Desta vez eles tentaram bloquear milhares de manifestantes, que pelo segundo dia consecutivo tomaram as ruas do centro de Atenas, em oposição à política do totalitarismo que está tirando nossas vidas. Desde a manhã os brucutus do dito partido se alinharam em frente do Parlamento, impedindo que milhares de manifestantes se aproximassem da Praça da Constituição (Syntagma) e se movesse até o Parlamento para enfrentar com os outros pretorianos do Regime, os denominados grupos antidistúrbios. Enquanto dentro do Parlamento o governo estava aprovando um decretaço que acaba com os acordos coletivos e com as nossas vidas, do lado de fora os membros do Partido “Comunista” substituía a Polícia, tentando reprimir uma manifestação combativa e massiva do povo de Atenas. Eles estavam bem preparados e equipados, com paus e bastões, usando capacetes, a fim de levar a cabo um plano bem definido. Em coordenação com a outra Polícia, formaram uma corrente humana em frente ao Parlamento, repelindo violentamente os blocos de manifestantes que se aproximavam da área. Até agora, dito partido tinha apenas se limitado a um desfile apressado por uma parte do centro da cidade antes de sair também às pressas. Hoje, esse plano mudou. Tanto em Atenas, como em outras cidades gregas desempenharam o papel da guarda pretoriana do Regime. Em Atenas, milhares de manifestantes do bloco do movimento “Não Pago”, de extrema esquerda, de sindicatos de base, anarquistas, antiautoritários e outros manifestantes rebelados contra o totalitarismo do Regime, pelejaram contra os fascistas do dito partido que ainda tem a coragem de chamar-se comunista. Durante algumas horas os manifestantes estiveram lutando, batalhando, combatendo corpo-a-corpo contra essas duas polícias: a oficial e a muleta do Sistema. Quando pela tarde os policiais substituíram os cafetões deste partido, estes últimos não hesitaram em atacar os manifestantes que encontravam em seu caminho, enquanto a Polícia oficial investia contra a manifestação. Mais de uma hora após a retirada-fuga dos brucutus, um homem de 53 anos morreu, devido a problemas respiratórios e um ataque cardíaco. De acordo com as evidências até o momento, essa pessoa inalou grande quantidade de gás lacrimogêneo e outros venenos disparados pela Polícia. Estamos à espera da autópsia forense para detectar com mais precisão as causas de sua morte. As forças repressivas concluíram a tarefa dos seus colegas do Partido “Comunista” com uma repressão implacável em todo o centro de Atenas. À tarde, os conflitos se espalharam pelas zonas turísticas de Plaka e Monastiraki, bem como pelo bairro de Exarchia. Na estação de metrô da segunda praça no centro, Omonia, a Polícia invadiu a estação e bateu nas pessoas que se refugiaram lá. Em Monastiraki, a Promotoria ordenou a evacuação da estação local com centenas de manifestantes. Os conflitos chegaram até a estação da Acrópole e os bairros próximos a ela. Houve várias detenções e prisões. Enquanto isso, os meios de desinformação falavam de conflitos entre manifestantes… (e, em geral…) e… encapuzados, batendo todos os recordes de desinformação intencional. Não é a primeira vez que os brucutus deste partido agem de Guarda Civil do Regime. Todos os rebelados contra este sistema, contra o Poder e o Capital, têm experimentado reiteradas vezes o que hoje, 20 de outubro, viveu o povo de Atenas. Vamos continuar divulgando mais infos sobre este assunto nos próximos dias. agência de notícias anarquistas-ana ao pé da janela dormimos no chão eu e o luar Rogério Martins

O Fascismo que escorre… até quando vamos engolir?

[Fato é que quanto mais pessoas “indignadas” estiverem protestando efetivamente seja onde for – e não apenas falando da boca pra fora – mais dificil vai ser pro Estado esmagar a liberdade de escolha entre um sistema e outro com seus tentáculos…]

da Agência de Notícias Anarquistas – Brasil – via Moésio Rebouças:

Megaoperação policial contra anarquistas na Itália

A polícia italiana faz desde a madrugada de segunda-feira (17 de outubro) uma vasta operação centrada nos ambientes anarquistas, com registros de residências e centro sociais, controles e apreensão de equipamentos de informática, sem fazer, por enquanto, novas prisões.

A operação repressiva, que envolve centenas de homens das forças de ordem, está afetando todas as regiões da Itália, desde Trentino até Lombardia, de Lazio até a Sicília.

A polícia está à procura dos autores dos incidentes que ocorreram no último sábado, em Roma, onde centenas de manifestantes quebraram as vitrines dos bancos, incendiaram veículos e lançaram bombas contra as forças de ordem em meio ao protesto dos “indignados”.

Para os 12 detidos pelos conflitos de sábado durante a manifestação dos “indignados”, com idades entre 19 e 30 anos, a Procuradoria de Roma pediu a prisão preventiva sob a acusação de resistência às autoridades agravada pelo lançamento de objetos contundentes.

Os detidos podem enfrentar penas de prisão entre três e 15 anos, o que deverá ser decidido por um juiz nas próximas 48 horas, que decretará ou não a prisão preventiva.

Endurecer as leis

Segundo as agências de notícias, o ministro do Interior da Itália, Roberto Maroni, vai propor reviver uma lei dos sangrentos “anos de chumbo” do país para combater protestos violentos.

Maroni disse que concordava com o político da oposição Antonio Di Pietro, um ex-magistrado que sugeriu reviver uma lei dos anos 1970, quando a Itália era assolada por protestos de esquerda e pela violência da guerrilha urbana.

A lei permitia que a polícia usasse armas de fogo e proibia o uso de capacetes ou máscaras durante protestos. Também liberava a detenção preventiva de manifestantes suspeitos de planejar atos violentos.

Outras medidas que estão sendo consideradas incluem a extensão das leis criadas para conter torcedores violentos de futebol a demonstrações públicas e o uso de tinta colorida em mangueiras de alta pressão contra manifestantes, assim como julgamentos acelerados para detidos.

agência de notícias anarquistas-ana

primavera

até a cadeira

olha pela janela

Alice Ruiz


[França] Besançon: Linchamento e agressões sexistas a militantes anticorrida taurina durante uma ação direta não-violenta

[Mathilde, Virginie, Sandra e Aurélie, um grupo de militantes da cidade de Besançon da causa animal, voltaram completamente machucadas de suas visitas às arenas de Rodhilan (Gard), no último sábado (8 de outubro). Elas não “esperavam ser chamadas para um happy hour”, mas “daí a ser literalmente linchadas…”]

“Eles se exasperaram”

O princípio da ação de protesto contra a final de “Grão-Toreiro” – uma corrida que opõe “adolescentes e bezerros, até a morte” – foi lançada no Facebook, do mesmo jeito que outras chamadas informais se põem freqüentemente, entre membros disponíveis de múltiplas associações. No dia J, perto de uma centena de militantes vieram de toda a França e também da Bélgica para o centro da arena.

Um grupo portava cartazes que desviaram a atenção enquanto o grosso do grupo saltava à arena para se acorrentar entre si, com ajuda de grandes cadeados e de correntes.

O acontecimento, provavelmente eclipsado pelas primárias socialistas que ocorreriam no dia seguinte, não obteve repercussão midiática. Por isso, os vídeos que demonstram o acontecimento integralmente na internet, são particularmente edificantes – para não dizer alucinantes.

O efeito surpresa teve curta duração. Enquanto os aficcionados rasgavam as bandeiras e cartazes e distribuíam fortes tapas enquanto passavam, uma mangueira de incêndio foi posta em ação para arrastar os manifestantes até o centro da arena à fortes golpes d’água. Socos, pontapés nas costas, na cabeça… a violência se desencadeou indiscretamente ao encontro de homens e mulheres. Uma delas foi violentamente despida, puxada pelo sutiã, que foi arrancado.

“Eles se exasperaram”, suspira Mathilde, em quem um hematoma e a coluna guardam a memória da ação. Virginie, que foi puxada pela cabeça pelas escadas da plaza de toros, acrescenta: “houveram abusos sim. Sandra, que teve um tufo de cabelo arrancado da cabeça, foi levada para fora da arena com a ajuda de um cadeado passado em volta do pescoço. Aurélie ficou oito horas de repouso por causa de um cóccix quebrado”.

Raros são aqueles que tentam se opor à corrida, e havia poucos policiais municipais presentes. Assim, a cena se desenrolou sob os olhos do prefeito de Nîmes e do primeiro magistrado de Rodhilan.

Enquanto os manifestantes iam sendo expulsos ao cabo de um bom quarto de hora de luta, uma “guarda de honra” lhes iam aplicando chutes pelo caminho.

A polícia chegou pois para por fim ao problema com a ordem pública e para o bom desenvolvimento da festa taurina. “Eles se recusaram a entregar nossas demandas ao prefeito como nós lhes pedimos, e também de registrar nossas queixas, bem como os bombeiros se recusaram a carregar uma mulher que não podia por os pés no chão. Quanto à Cruz Vermelha, ficaram de braços cruzados…”, observaram as besancenses.

Fred Jimenez

Vídeo:

› http://www.youtube.com/watch?v=X_dP8_73KPM&feature=player_embedded

Tradução > Tio TAZ

agência de notícias anarquistas-ana

de pés molhados

a lua atravessa

o horizonte

Harley Meireles

Privacidade? Did you mean foda-se?

Google Libera Dados do Gmail de Voluntário do WikiLeaks para Governo Americano

Usuários do Gmail podem ficar apreensivos. Recentemente a Google revelou os dados privados de um usuário do Gmail para o governo americano sem ao menos um mandato de busca.

De acordo com o ReadWriteWeb, um voluntário do WikiLeaks e desenvolvedor do projeto Tor – uma rede focada na anonimidade dos usuários, que impossibilita o seu  rastreamento (quanta ironia) – Jacob Appelbaum teve sua lista de contatos e dados do IP revelados para o governo do EUA. Como exposto no Wall Street Journal, o governo fez o pedido de quebra de privacidade através de um mandato judicial secreto habilitado por uma lei controversa de 1986 chamada Electronic Communications Privacy Act. A lei permite que o governo exija informações de provedores de acesso sem um mandato e sem a notificação do usuário. No segundo semestre de 2010 o governo do EUA pediu que a Google revelasse os dados de 4.601 usuários, a empresa revelou informações de 94% deles.

Uma pequena provedora chamada Sonic.net também recebeu a mesma ordem para revelar os dados do usuário Jacob, mas a empresa só o fez depois de tentar reverter a decisão na justiça e perder. Não existem provas que a Google também tenha tentado contestar a ação na justiça, mas as empresas se certificaram de que o usuário Jacob esteja ciente da divulgação de seus dados.

Este é um caso sério, o governo americano tem total liberdade de burlar qualquer parâmetro de privacidade e requisitar informações sigilosas de usuários de provedores, sem a consciência dos mesmos, e sem ao menos um mandato de busca. Isso quer dizer que, se tratando do WikiLeaks, qualquer simpatizante da organização está com a privacidade em risco. O governo pode ter acesso a informações de centenas de usuários sem que eles desconfiem e nem as redes sociais estão a salvo. O Twitter, Facebook e as redes da Google também podem estar sob vigilância.

Mas nem tudo está perdido. No final do ano passado o Departamento de Justiça do EUA fez uma requisição similar ao Twitter, também em relação ao WikiLeaks, mas a empresa lutou para que pelo menos os usuários fossem avisados.

Algumas empresas de tecnologia estão tentando fazer com que o Congresso reavalie a lei, já que a web evoluiu bastante desde que ela foi criada. A Google está entre elas, mas por que a empresa não tentou evitar a divulgação dos dados de Jacob? Já imagino que ela não tenha tentado pelo simples fato de que esta informação não está no artigo. Uma empresa que realmente se preocupa com a privacidade dos usuários tentaria impedir este “vazamento” a todo custo, ou pelo menos divulgar que fez o possível.

 

[direto de: http://webholic.com.br/2011/10/11/google-libera-dados-do-gmail-de-voluntario-do-wikileaks-para-governo-americano/%5D

Franceses ricos querem pagar impostos mais altos!

***Em carta, franceses mais ricos apelam para pagar imposto

Solidariedade dos milionários vem em boa hora para Sarkozy, que precisa cortar gastos e fazer ajustes fiscais

Na petição, ricos dizem que querem preservar o modelo econômico francês e europeu, do qual se beneficiam

[Do Financial Times]

Algumas das pessoas mais ricas da França, entre as quais Liliane Bettencourt, maior acionista da L’Oréal, apelaram por impostos mais altos sobre os ricos, no momento em que o governo se prepara para anunciar pesados cortes de gastos para controlar as finanças públicas.

Proposta semelhante foi feita pelo bilionário investidos americano Warren Buffett, que criticou o fato de estar sujeito a alíquotas de impostos mais baixas do que as de muitas pessoas que trabalham para ele.

Christophe de Margerie, presidente da petroleira Total e membro da família Taittinger, e Maurice Lévy, presidente da empresa de publicidade Publicis, também fazem parte do grupo de 16 executivos e investidores endinheirados que assinaram uma petição publicada pela revista semanal “Nouvel Observateur”, apelando por uma “contribuição excepcional” dos cidadãos mais ricos da França.

“Estamos cientes de que nos beneficiamos muito do modelo francês e do ambiente europeu, ao qual temos grande apego e que desejamos ajudar a preservar”, afirmaram os signatários.

Reeleição

A petição chega em momento oportuno para o presidente Nicolas Sarkozy, que disputará a reeleição no ano que vem e que propõe novos cortes de Orçamento para acalmar os mercados.

O governos francês deve anuncair novos cortes de até 13 bilhões de euros (29,9 bilhões de reais) para 2011 e 2012.

Sarkozy estaria disposto a abandoranr uma das medidas que adotou para elevar o consumo depois de sua eleição – isenção de impostos para horas extras, o que deve elevar a arrecadação tributária em 4,5 bilhões de euros.

“Na França, uma medida tem que ser considerada justa para que seja aceita. [um imposto sobre os mais ricos] fará com que todo o pacote pareça mais justo. Não há benefícios financeiros concretos, mas impacto político e comercial”, disse Dominique Barbet, diretor de pesquisa do BNP Paribas.

A maior parte das famílias mais ricas da França decidiu se destacar pela ausência na lista de signatários da petição. O assessor de uma delas afirmou que o imposto sobre os ricos não fazia sentido.

“Não resolveremos os problemas das finanças francesas com um imposto sobre os muitos ricos”, disse.

“Temos que reduzir os gastos públicos”.***

Tradução de P A U L O  M I G L I A C C I

F O L H A DE S. P A U L O, 24 DE A G O S T O, 2011, C A D E R N O  M U N D O.

GRIFOS DO WIKRISIS.

“A guerra da OTAN contra civis líbios”‏

9/7/2011, Franklin Lamb, Countercurrents.org – http://www.countercurrents.org/lamb090711.htm

Trípoli, Líbia: Anoto aqui, rapidamente, cinco casos em que a OTAN atacou civis líbios, dentre os casos de ataque a civis que a população de Trípoli mais comenta nos últimos dias.

13/5/2011: Uma delegação de líderes muçulmanos que vieram a Breda para diálogo pacífico com outros religiosos do leste da Líbia foi atacada à 1h da manhã no hotel em que estavam hospedados, por duas bombas MK 82. 11 morreram no local; 14 ficaram gravemente feridos. A OTAN alegou que, no mesmo prédio, funcionaria um “Centro de Comando e Controle”. Todas as testemunhas e o proprietário do hotel negaram veementemente que o hotel abrigasse qualquer tipo de “Centro”. Entrevistei pessoalmente o líder da delegação, Xeique Khalad Ali, três vezes, para obter detalhes. Ele está hospitalizado, recuperando-se de ferimentos por estilhaços na perna direita e confirmou o que disseram outras testemunhas. A OTAN ofereceu-se para indenizar as famílias dos feridos.

20/5/2011: Na madrugada desse dia, oito mísseis atingiram a casa de Khaled Al-Hamedi, onde estava sua família, com vários parentes. 15 pessoas foram mortas, entre as quais a esposa de Khaled, grávida; sua irmã e três de seus filhos. A OTAN alegou que a casa fora bombardeada porque ali haveria algum tipo de instalação militar. Testemunhas, vizinhos e fontes independentes negam que ali algum dia tivesse havido qualquer tipo de instalação militar, ou que algum dia tenham visto movimentação de soldados na propriedade.

Final de junho/2011: Na estrada principal a oeste de Trípoli, um ônibus do transporte público com 12 passageiros foi atacado por um míssil TOW. Todos os passageiros morreram. A OTAN alegou que os ônibus das linhas de transporte público estariam sendo usados para transportar pessoal militar. Jornalistas estrangeiros, inclusive eu, que usamos o transporte público, nunca vimos soldados nos ônibus nem em Trípoli, Não se veem tanques, blindados nem qualquer tipo de veículo militar na cidade. A polícia local continua a fazer a segurança das cidades e comitês de cidadãos fazem a segurança interna dos bairros e subúrbios.

6/6/2011: Às 2h30 da madrugada, o complexo central administrativo do Alto Comitê para a Infância, no centro de Trípoli, a dois quarteirões do hotel onde estou hospedado, foi atacado por 12 bombas/foguetes. O complexo abrigava o Centro Nacional de Assistência a Crianças com Síndrome de Down, com todos os seus setores de estatísticas; a Fundação para a Mulher com Doenças Incapacitantes; o Centro para Crianças com Problemas de Locomoção e o Centro Nacional de Pesquisas do Diabetes.

16/6/2011: A OTAN bombardeou um hotel privado no centro de Trípoli, Matou três pessoas e destruiu um restaurante de Shisha.

Segundo os médicos do Hospital Central Sirte e o Grupo de Advogados Líbios, que representam as vítimas das atrocidades da OTAN, e que apresentaram breve relatório dia 8/7/2011, há inúmeros hospitalizados, feridos nos ataques da OTAN.

O número de feridos civis vem aumentando entre 5% e 20% por mês naquele hospital; os casos de diabetes não controlada e pressão anormalmente alta aumentaram 300% entre 15 de fevereiro e 15 de junho, comparados os anos de 2010 e 2011.

O número de abortos espontâneos também aumentou dramaticamente na Líbia, segundo o Prelado da Igreja Católica na Líbia, Giovanni Innocenzo Martinelli, um dos líderes religiosos mais conhecidos e respeitados nesse país onde 99,5% da população são muçulmanos sunitas. Esse Prelado informou a visitantes que em um dia, no Hospital Verde em Trípoli, imediatamente depois dos bombardeios da OTAN em meados de março, houve 50 casos de abortos espontâneos, com 40 mães mortas. Esses números foram confirmados por mim dia 5/7/2011, em entrevista com o Dr. Mohamed Milhat, cardiologista do Centro Médico Líbio-Britânico. O Dr. Milhat confirmou o expressivo aumento de pacientes com sintomas relacionados ao estresse.

A história julgará a OTAN e seus comandantes por seus crimes. Que cada cidadão, em cada país-membro da OTAN, trabalhe para pôr fim a essa missão de guerra ilegal e ajudar a proteger a população civil da Líbia.